Qual a diferença entre as gorduras saturadas, insaturadas, trans e onde as encontramos?

Hoje, vamos compartilhar com vocês um resumo de uma matéria que saiu no “Eu Atleta”, do portal “Globo Esporte.com”, sobre os tipos de gorduras.

A doença cardiovascular é uma das principais causas de morte no mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo de dietas inadequadas, juntamente com a falta de atividade física, está entre os 10 maiores fatores determinantes de mortalidade. Inúmeros estudos associam a composição da dieta aos principais fatores de risco de doenças cardiovasculares. Ou seja, precisamos não somente restringir calorias, mas avaliar a qualidade do alimento ingerido. Conheça mais sobre as gorduras:

 

Gorduras Saturadas

Está presente em alimentos de origem animal (carnes, leite, manteiga, creme de leite e queijos) e vegetais como coco, cacau e azeite de dendê. A polpa de coco e o cacau são boas fontes por terem propriedades funcionais. Diferente do colesterol da dieta (gema de ovo, frutos do mar e etc), que tem absorção limitada pelo organismo, a absorção da gordura saturada da dieta não é limitada, por isso sua ingestão promove efeito mais intenso sobre a colesterolemia (presença de colesterol no sangue). Ocasionando aumento da concentração sanguínea de LDL – colesterol (colesterol ruim).

 

Gorduras Trans

Não são produzidas no organismo humano e resultam de processo natural de bio-hidrogenação ou de processo industrial de hidrogenação parcial ou total de óleos vegetais ou marinhos. A principal fonte de gordura trans na dieta é a vegetal hidrogenada, utilizada industrialmente na produção de biscoitos, bolachas recheadas, empanados tipo nuggets, sorvetes cremosos, tortas e alimentos comercializados em restaurantes “fast-food”. Embora esses ácidos graxos sejam abundantes nas margarinas duras, representam apenas 10% do consumo de gorduras trans, sendo os alimentos industrializados a maior fonte.

 

Gorduras Insaturadas

Não favorecem o aparecimento de doenças cardiovasculares e podem ser divididas em monoinsaturadas (azeite de oliva, abacate, óleo de canola, oleaginosas como castanhas e nozes) e poli-insaturadas, como o Ômega-3 (peixes de água fria) e o Ômega-6 (óleos de canola e soja).

As gorduras devem fazer parte de em torno de 25 a 30% do total das calorias da dieta. As gorduras saturadas devem ter sua ingestão reduzida e serem substituídas pelos ácidos graxos monoinsaturados como o azeite de oliva, óleo de canola, abacate e oleaginosas (castanha do Brasil, nozes, amêndoas). A ingestão de gordura saturada deve ser inferior a 10% das calorias da dieta.

Para a manutenção da saúde e prevenção de doenças é necessário hábito de vida saudável através da prática esportiva e alimentação equilibrada com aumento de ingestão de fibras (alimentos integrais, aveia, chia, linhaça); “gorduras boas”; redução de açúcares e sal; ingerir pelo menos 5 porções diárias de frutas, verduras e legumes.As informações são da nutricionista especializada em nutrição clinica e nutrição esportiva, Cristiane Perroni.