A importância da alimentação saudável na infância e adolescência

A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento humano, com qualidade de vida e cidadania.

No Brasil, ainda existe um grande número de famílias sem acesso à uma alimentação adequada, muitas vezes pela falta de renda suficiente. Por outro lado, boas condições financeiras não garantem uma alimentação saudável, pois as escolhas alimentares são determinadas por muitos fatores, tais como:

• Preferências alimentares individuais;
• Disponibilidade dos alimentos no mercado;
• Influência das propagandas no mercado, na televisão.

A alimentação saudável na infância e na adolescência promove a saúde, o crescimento, o desenvolvimento e previne problemas de saúde, tais como a anemia por deficiência de ferro, obesidade, e cárie dental; e pode prevenir problemas de saúde em longo prazo, como doenças cardíacas, câncer, diabetes, hipertensão, osteoporose e outras.

Ao contrário do que muitos pensam, uma alimentação saudável não significa uma alimentação cara ou de difícil acesso. Fazem parte de uma alimentação saudável, a maioria dos alimentos “in natura”, tais como: feijão, arroz, milho, trigo, frutas, legumes e verduras, sementes e castanhas, onde devem ser consumidos em porções adequadas todos os dias para garantir os nutrientes essenciais ao organismo.

Alimentação Complementar – Os atributos de uma alimentação saudável

A alimentação saudável, deve contemplar os seguintes pontos:

• Acessibilidade física e financeira;
• Sabor;
• Variedade;
• Cor;
• Harmonia;
• Segurança sanitária.

Sabor – O argumento da ausência de sabor da alimentação saudável é outro tabu a ser desmistificado, pois é e precisa ser necessariamente saborosa.

Variedade – O consumo de vários tipos de alimentos fornece os diferentes nutrientes necessários, evitando a monotonia alimentar, que limita a disponibilidade de nutrientes necessários para atender a uma alimentação adequada; as crianças devem ser expostas a diferentes alimentos, sendo necessárias, às vezes, diversas exposições ao mesmo alimento para a sua aceitação.

Cor – A alimentação saudável contempla uma ampla variedade de grupos de alimentos com múltiplas colorações. Sabe-se que quanto mais colorida é a alimentação, mais rica é em termos de vitaminas e minerais. E a torna mais atrativa!

Harmonia – Essa característica da alimentação se refere especificamente à garantia do equilíbrio em quantidade e em qualidade dos alimentos consumidos para o alcance de uma nutrição adequada.

Segurança Sanitária – Os alimentos devem ser seguros para o consumo, ou seja, não devem apresentar contaminantes de natureza biológica, física ou química ou outros perigos que comprometam a saúde do indivíduo ou da população.

Alimentação saudável nas diversas fases da vida

Crianças maiores de 2 anos de idade:
A partir dos dois anos de idade, a alimentação da criança torna-se mais parecida com a da família.

Pré-escolares (2 – 6 anos) e Escolares (7 – 10 anos):
• Pré-escolar: Nessa fase, a criança ainda está formando seus hábitos alimentares e ela deve ser estimulada a participar do ato de alimentar-se.
• Escolar: Como a criança está em fase de socialização mais intensa e se torna mais independente dos pais e da família, é importante assegurar e reforçar a sua responsabilidade na seleção e consumo de alimentos saudáveis.

Adolescente (10 e 19 anos)
Período caracterizado por transformações que influenciam, inclusive, no comportamento alimentar. Uma alimentação saudável fornece os nutrientes adequados ao crescimento e às modificações corporais que ocorrem nesse período. Neste período devemos nos atentar aos transtornos alimentares que podem ocorrer, devido ao culto exagerado ao corpo (uso de anabolizantes, bulimia, anorexia, etc.) Deve-se sempre aliar uma alimentação saudável com a prática de alguma atividade física nestas fases.

A pirâmide alimentar

É importante salientar que a posição dos alimentos na pirâmide não se dá por importância e sim por necessidade e quantidade.

A pirâmide dos alimentos nas diferentes faixas etárias

Os grupos de alimentos têm a mesma divisão em todas as pirâmides,independente da faixa etária. Os princípios de variedade, moderação e equilíbrio também são iguais em todas elas. O que varia é o número de porções e, conseqüentemente, as necessidades energéticas e nutritivas indicadas para cada idade. Para as crianças, a pirâmide é mais larga. Isto acontece porque a infância é um período de crescimento e desenvolvimento e a necessidade energética é maior.

Todos os nutrientes são importantes, porém, o ferro e proteínas merecem atenção especial, para evitar o surgimento de anemia. Os alimentos energéticos, que são a base da pirâmide, previnem a desnutrição quando ingeridos de acordo com as quantidades recomendadas. É preciso que nesta fase os adultos tomem cuidado com seus hábitos alimentares, pois as crianças costumam imitá-los.

Recomendações para as crianças

Cereais, massas e vegetais: 6 porções;
Frutas: 2 porções;
Verduras: 3 porções;
Leite e derivados: 2 porções;
Carnes, ovos, feijões e nozes: 2 porções;
Açúcares e gorduras: moderação.

A pirâmide para os adolescentes também é larga, uma vez que nesse período ocorre o chamado “estirão do crescimento”. Nessa fase, as necessidades de energia e nutrientes estão aumentadas e corpo e aparência tornam-se grandes preocupações. Nesta fase, podem ocorrer várias deficiências e distúrbios nutricionais. Os mais comuns são:

• Anemia (por deficiência de ferro)
• Desnutrição (deficiência energética e/ou proteica)
• Anorexia nervosa (privação de alimentos)
• Bulimia e Obesidade (exagero do consumo de alimentos)

As proteínas e o cálcio são dois nutrientes importantes nesta fase, pois a ingestão adequada desses alimentos ajudam a manter o peso e o desenvolvimento normal da massa óssea e muscular, e o cálcio em especial ajuda a prevenir a osteoporose na idade avançada.

Recomendações para adolescentes

Cereais, massas e vegetais C: 6 a 11 porções;
Frutas e verduras: 4 a 5 porções;
Leite e derivados: 3 a 4 porções;
Carnes, ovos, feijões e nozes: 2 a 3 porções;
Açúcares e gorduras: moderação.

Os 10 mandamentos da alimentação saudável

1. Comer frutas e verduras;
2. Para cada 2 colheres de arroz, comer 1 de feijão;
3. Evitar gorduras e frituras;
4. Usar 1 lata de óleo para cada 2 pessoas da casa por mês;
5. Realizar 3 refeições principais e 1 lanche por dia;
6. Comer com calma e não na frente da TV;
7. Evitar doces e alimentos calóricos;
8. Comer de tudo, mas caprichar nas verduras, legumes, frutas e cereais;
9 e 10. Atividade física: duração e freqüência.